Publicidade
Publicidade - Super banner

Pelo mundo

enhanced by Google
 

Baixa Saxônia

Bremen é famosa por um pão de frutas preparado no Natal; em Hanôver, a atração é um exótico ensopado de língua bovina

Cristiana Couto e Eric Heneault, com edição de Viviane Aguiar


Alemanha - Baixa Saxônia

A união de pequenos territórios deu origem, em 1946, à Baixa Saxônia, considerada hoje o segundo maior estado da Alemanha (só perde para a Baviera). Em sua imensa área estão escondidas joias arquitetônicas como o Castelo de Sababurg, construído na floresta de Reinhards no século 14 e famoso no mundo por aparecer no conto A Bela Adormecida, registrada pelos irmãos Grimm. Outra fábula dos escritores alemães, O Flautista de Hamelin, também se passa na região. A cidade de Hamelim, aliás, está a cerca de 50 quilômetros de Hanôver, capital da Baixa Saxônia, e um dos destinos mais visitados no estado. O bairro medieval, em volta da Marktplatz, tem construções erguidas no século 15, e as igrejas luteranas de São Jorge e São Jacó. Entre uma visita e outra, turistas enchem os restaurantes típicos – e pedem a clássica cerveja com a salsicha pinkel ou o tradicionalíssimo ensopado de língua bovina (o zungenragout).

Com 600 mil habitantes, Bremen é a menor cidade-estado da Alemanha. Está à beira do rio Weser, que atravessa toda a Baixa Saxônia. Integrante da Liga Hanseática, uma aliança de cidades mercantis do Norte da Europa entre os séculos 12 e 17, o lugar tem um importante porto para o comércio de vinhos e cereais. A atividade marítima influenciou a culinária local – o labskaus , um picadinho de carne bovina e peixe, surgiu nas cozinhas dos navios. Em terra firme, há inúmeras atrações históricas (a catedral St. Petri, do século 11, e a Rathaus, prefeitura em estilo gótico do século 15, são as mais importantes) e gastronômicas. Os restaurantes e cafés das estreitas ruas do Schnoorviertel, o mais antigo bairro da cidade, servem, entre outras especialidades, o cozido hühnersuppe e a sobremesa rote grütze.

Pratos típicos de Bremen e Baixa Saxônia
Produtos e ingredientes típicos de Bremen e Baixa Saxônia

 

Pratos típicos de Bremen e Baixa Saxônia

Bremer hühnersuppe: Na Alemanha, as sopas costumam ser preparadas com caldos de carne ou de legumes. Nesta receita, típica de Bremen, cozinha-se o peito da galinha em um caldo de osso de boi, cebola e legumes (incluindo cenoura, salsão, alho-poró e salsa). À mistura, se acrescenta creme de leite batido com ovo e manteiga, temperada com lagostim. Para finalizar, aspargos, ervilhas, vinho branco e o restante da carne da ave são adicionados.

Bremer klaben ou kloben: Dizem que o prato é a versão de Bremen para o stollen de Dresden, na Saxônia. Também é um bolo típico do Natal, mas sua massa leva amêndoas, água-de-rosas e canela; no recheio entram uvas-passas, frutas secas e raspas de limão previamente banhadas em rum. O bolo pode ser conservar por meses se estiver em lugar seco e bem embrulhado.

Frikadellen: É uma almôndega de carne achatada no formato de um pequeno hambúrguer. Preparada com carne de boi e de porco, cebola, pão umedecido, ovos e salsa, a receita é frita na manteiga e acompanhada de tomates fatiados, salada, batata e vagem.

Hannoversche zungenragout : O ensopado de língua bovina é uma receita muito popular nesta região. Há várias versões, como a de Hanôver, em que o ingrediente cozinha num caldo de legumes encorpado com cebola, farinha, manteiga, noz-moscada, vinho tinto e da Madeira. Knödels, ou bolinhos de carne de porco, são cozidos em caldo e refogados com cogumelos para acompanhar a língua. Batatas cozidas, arroz ou salada também costumam guarnecer o prato.

Labskaus : Conhecido como “picadinho do marinheiro”, é um prato típico de Bremen, também servido em Hamburgo e Lübeck, ao norte da Alemanha. O tradicional preparo data da época das grandes navegações, entre os séculos 15 e 17, em que as embarcações partiam para o mar sem previsão de volta (e o trabalho pesado nos navios justificava o preparo de pratos calóricos). Até hoje, a receita leva carne conservada em salmoura (tipo corned-beef), que é triturada com anchova ou arenque e batatas cozidas. No refogado, entram beterrabas e pepinos em conserva e, no tempero, mostarda. É servida com ovo estrelado por cima e um filé de arenque para acomapanhar.

Rote grütze: Uma das sobremesas mais tradicionais da Alemanha, principalmente da região norte, é um tipo de pudim ou gelatina de frutas vermelhas (framboesas, groselhas, cerejas e morangos são as mais usadas), açúcar e fécula (de sagu ou sêmola). O rote grütze costuma ser servido com creme de baunilha ou leite batido no creme de leite. Existem versões da receita na Polônia, na Rússia e na Dinamarca.

Produtos e ingredientes típicos de Bremen e Baixa Saxônia

Cerveja : Do tipo bock, a einbecker é fabricada na cidade de Einbeck há mais de 600 anos – inicialmente era produzida e consumida em ocasiões especiais, como festas religiosas ou natalinas. Clara ou escura, tem teor alcoólico elevado (6% a 7%) e sabor marcante do malte, adocicado e frutado. As doppelbock (literalmente “dupla bock”) têm gosto mais intenso. A maibock e hellerbock são variações mais leves e amargas.

Embutidos : Há vários tipos de salsicha na Baixa Saxônia, mas a mais famosa é a pinkel, defumada e feita de carne suína e farinha de centeio ou cevada. Ela entra no preparo de kohl und pinkel, prato típico à base de couve verde (grünkohl) ou marrom (braunkohl), cozida com bacon, batatas e kasseler (costeleta defumada do porco). Outras salsichas da região são a bregenwurst, de carne de porco defumada e temperada com cebola e pimenta-da-jamaica; a hannoversche weisswurst, linguiça suína branca; a knappwurst, feita com barriga de porco, pão, cebola e tomilho; e a eichsfelder stracke, produzida no distrito de Eichsfeld, no limite entre a Baixa Saxônia com a Turíngia.

Korn: Aguardente muito popular, à base de cereal (centeio, trigo, trigo sarraceno, aveia ou cevada). A bebida, criada no século 15 no norte da Turíngia, é produzida, hoje, em mais de 500 destilarias em todo o país. Entre as mais importantes estão Berentzen, Heydt e Rosche, instaladas na cidade de Haselünne, na Baixa Saxônia. A proporção de álcool por volume diferencia a denominação: é korn quando tem 32% de teor alcóolico, e doppelkorn, quando fica em 38%. Os nomes edelkorn e altkorn se referem a aguardentes conservadas por pelo menos seis meses, em tonéis de madeira.

Maçãs: No limite entre a Baixa Saxônia e Hamburgo fica a região de Altes Land, considerada o maior pomar da Alemanha com mais de 14 mil hectares de plantações de frutas. O cultivo teve início com colonos vindos da Saxônia e da Holanda há cerca de 700 anos. Embora uma pequena porção de terra seja dedicada às cerejas, quase 80% da produção é de maçãs. Entre as variedades, a mais famosa é a elstar, seguida da jonagold e da boskoop. Na cidade de Jork, um festival da florada da maçã movimenta a região todos os anos.

Queijo de Harzer: Também conhecido como harzer roller, é um queijo fabricado em Harz, região montanhosa situada entre a Baixa Saxônia, a Saxônia-Anhalt e a Turíngia. Feito de leite acidificado, tem baixo teor de gordura (cerca de 1%) e muita proteína. A Baixa Saxônia produz cerca de 70% desse tipo de queijo, geralmente conhecido como gelbkäse (ou amarelo), de aroma pungente, e servido com cebola curtida em vinagrete e pão preto. Entre os exemplares mais famosos estão o leve korbkäse, o mainzer (com cominho), o stangenkäse (em formato cilíndrico) e o bauernhandkäse, moldado à mão.
 

Referências bibliográficas

ANDERSON, Jean. The new german cookbook: more than 230 contemporary and traditional recipes. Londres: Harper Collins Publishers, 1993.
AVERY, Zak. 500 beers. Portland: Sellers Publishers, 2010.
CANTER, Miriam. Great german recipes. Iowa: Penfield Books, 2002.
DAVIDSON, Alan. The Oxford companion to food. Nova York: Oxford University Press, 1999.
KOHL, Hannelore. A culinary voyage through Germany. Nova York: Abbeville Press Publishers, 1996.
METZGER, Christine. Culinaria Germany. Berlim: Könemann, 2007.
NEPOMUCENO, Rosa. Ervas, temperos e condimentos de A a Z. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2010.
PARNELL, Helga. Cooking the german way. Minneapolis: Lerner Publishing Group, 2003.
ROBINSON, Jancis. The Oxford companion to wine. 3 ed. Nova York: Oxford University Press, 2006.
ROBUCHON, Joël (org.). Larousse Gastronomique. Londres, Hamlyn, Londres, 2001.
SHERATON, Mimi. The german cookbook - A complete guide to mastering authentic german cooking. Nova York: Random House,1993.
Cozinha país a país – Alemanha. São Paulo: Editora Moderna, 2007.
Germany 2008, Fodor’s Travel. Random House, 2008.
Guia Ilustrado Zahar – Vinhos do mundo todo. 3 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.
Guia Visual Europa – Folha de São Paulo. São Paulo: Publifolha, 2003.

Sites consultados
Allemagne, les recettes de cuisine AZ
Berlin – Tourist information
German beer guide
German cooking and recipes
Germany tourism
Let’s cook german
Meissen Manufaktur
Muechen
Niederegger Lübeck
Oktoberfest

Fotos:
Getty Images
Bar do Alemão
Avenida Juriti, 651, Moema, São Paulo (SP)
(11) 5052-8333